Como fazer um programa de incentivo para os motoristas

Como fazer um programa de incentivo para os motoristas

Um programa de incentivo para os motoristas é perfeito para motivar os condutores da frota.

Esse plano pode trazer diversos benefícios para a empresa, como redução de gastos com combustível, manutenção, multas e acidentes.

A questão é que os condutores dos veículos são os principais responsáveis pela redução de custos e aumento de produtividade da frota.

Mesmo assim, infelizmente, programas como esse não são tão comuns nas empresas com frota.

Muitas vezes, as empresas só trabalham na advertência e não no reconhecimento do seu funcionários.

No post de hoje, vou mostrar como você pode fazer um programa de incentivo para os motoristas, simples e rápido.

Fiz um entrevista com a consultora de RH da Contrata Soluções, Carolinne Gama, para conversarmos sobre as melhores práticas em programas de incentivo para motoristas:

A entrevista completa faz parte do meu Curso Frota para Todos, onde você pode ver mais detalhes clicando aqui.

Quem são os motoristas na sua empresa?

Algumas empresas consideram motoristas apenas aqueles que trabalham 100% na função de dirigir os veículos.

Na minha opinião, isso está errado!

Motorista pode ser considerado qualquer condutor que utiliza os veículos em sua empresa, inclusive aqueles que utilizam os veículos para prestar serviços ou vender produtos.

Se a sua empresa tem dois ou mais funcionários utilizando os veículos corporativos, já se faz necessária a gestão de motoristas.

Como montar um Programa de Incentivo para os Motoristas?

Todo programa de incentivo deve ter um sistema de premiação para os condutores.

Não basta apenas ranquear os melhores, é preciso de um incentivo para que os motoristas subam neste ranking.

Assim como deu para ver na entrevista com a consultora de RH da Contrata Soluções, Carolinne Gama, é sempre melhor premiar os melhores ao invés de punir os piores.

Não tem como ficar punindo um profissional que está jogando no seu time. 

O que ela deixou claro é que o programa de incentivos precisa ter bons indicadores, que sejam realistas e confiáveis.

Escolha indicadores que sejam transparentes com os motoristas, de modo que todos possam verificar os resultados.

A recomendação é que se use 5 indicadores, e estabeleça uma pontuação para cada indicador.

Veja um exemplo:

  • Sem registros de excessos de velocidade: 20 pontos
  • Não tomar multas de trânsito: 20 pontos
  • Não ficar com o veículo parado com motor ligado: 20 pontos
  • Não utilizar o veículo fora do horário e local permitido: 20 pontos
  • Sem atrasos: 20 pontos

Total: 100 Pontos

Além disso, você pode estabelecer um sistema de pontuação coletiva, para toda a equipe participar.

Um exemplo disso é o consumo de combustível da frota valendo os 100 pontos.

Tipos de Premiação

Agora que você definiu os indicadores transparentes e as pontuações, chegou a hora de premiar.

O período de premiação pode ser mensal, pois é mais efetivo que os outros períodos.

A premiação pode ser em dinheiro ou em prêmios físicos.

Em dinheiro, pode trazer algumas questões burocráticas e administrativas para as empresas.

Enquanto que a premiação física, pode ser mais fácil e simples para a empresa implantar no programa de incentivos.

Essa premiação pode ser por meio de brindes, cartões presentes, eletrodomésticos, entre outros itens.

Eu já dei uma dica muito boa sobre esse tipo de premiação no canal Tudo sobre Gestão de Frotas. Vale muito a pena pelos resultados que essa premiação dá para a sua empresa:

Um bom exemplo de premiação que a Carolinne Gama dá no vídeo é a folga para o motorista.

Ter uma folga no meio da semana para passear com a família, pode ser um grande incentivo para o motorista.

Qual deve ser o objetivo do Programa de Incentivo para o Motorista?

Como já passei mais acima, o motorista é o principal responsável pelos custos da frota, como gastos com combustível, manutenção, multas e acidentes.

Além disso, em um país com 45 mil mortes por ano no trânsito, os veículos se tornam armas perigosas nas mãos dos motoristas.

Então, o mínimo que a empresa deve fazer é incentivar o motorista a ter uma condução mais segura e econômica, reduzindo acidentes e gastos do veículo.

Um exemplo do maior gasto diretamente ligado ao modo de condução é o combustível.

Para se ter uma ideia, o combustível representa de 30% a 50% dos gastos totais de uma frota.

Como passei também uma meta coletiva sobre o consumo de combustível da frota, recomendo muito que assista esse vídeo abaixo:

Mais uma vez espero ter ajudado com esse post!

Caso não seja você o responsável pela frota da empresa, compartilhe com quem é, tenho certeza que esse conteúdo ajudará muito a sua empresa.

Além disso, gostaria de deixar aqui o convite para você conhecer o meu canal sobre gestão de frotas no Youtube. 

Lá, você terá acesso a muitos conteúdos gratuitos e vídeos exclusivos.

Muito obrigado e até breve!