Desafios da Gestão de Manutenção: Dicas simples para você começar o seu controle

Desafios da Gestão de Manutenção: Dicas simples para você começar o seu controle

A gestão de manutenção é um grande desafio para frotas pequenas e grandes, leves e pesadas.

E não adianta fugir do problema, se você não se planejar, com certeza será pior. Pois o custos da manutenção corretiva são maiores que os da preventiva. 

Apesar de óbvio, não é tão simples para os gestores e donos de empresas que os veículos precisam ter um planejamento de manutenção.

A correria do dia a dia faz com que esse planejamento seja deixado de lado.

Em uma entrevista feita para o canal Tudo sobre Gestão de Frotas, conversei com um gestor de uma grande frota, e vi que grandes empresas possuem os mesmos desafios da gestão de manutenção de frotas pequenas:

Veja a entrevista completa com o Marcos clicando aqui.

Manutenção preventiva vs Manutenção corretiva

O pior problema que a falta de manutenção preventiva pode gerar é a manutenção corretiva.

Manutenções corretivas são aquelas de quando o veículo ‘’quebra’’, e precisa ficar parado até por dias.

As manutenções corretivas representam 98% dos casos na maioria das empresas, e custam 30% a mais que as preventivas.

A manutenção corretiva também possui um custo imenso no que diz respeito à produtividade.

Com o veículo parado, o motorista, prestador de serviço ou até mesmo vendedor não conseguem trabalhar. Produtos não são entregues e serviços não são prestados.

Por onde começar na gestão da manutenção preventiva?

Primeiramente, você precisa fazer um planejamento das manutenções de cada veículo. 

Uma forma eficiente é utilizar o manual do próprio veículo, e ver quais itens precisam ser revisados e qual a quilometragem correta. 

Existem revisões e manutenções que necessitam de uma maior atenção, como:

  • Revisão de garantia do fabricante ;
  • Troca de óleo;
  • Alinhamento e balanceamento;
  • Troca de pneus;
  • Revisão dos freios e suspensão;
  • Troca de filtros e velas;
  • Troca da correia dentada do motor; 

Faça uma tabela que conste o nome de cada veículo, os itens e o km para troca ou revisão.  

Porém não basta apenas planejar, é preciso executar o planejamento. 

Eu sei que é humanamente impossível ficar se lembrando desses itens, de acordo com o odômetro de cada veículo.

O ideal é ter um sistema que avisa quando determinada quilometragem é alcançada, enviando alertas por e-mail do que deve ser feito.

Se você não tiver um sistema, terá que contar com a ajuda dos próprios condutores para avisar que tal quilometragem foi atingida. 

Você também pode usar um checklist em cada veículo, veja o post: 

Como usar o checklist para reduzir a manutenção dos veículos

Como saber a hora de trocar a frota?

A renovação da frota pode ser uma solução, mas é algo que precisa ser bem analisado devido ao seu alto custo inicial.

É muito importante que os responsáveis pelos veículos da empresa, seja gestor de frota ou dono da empresa, tenham algumas informações para tomar essa decisão.

  1. Qual é o custo atual com a manutenção da frota?
  2. Qual a indisponibilidade atual dos veículos?

Com a resposta dessas duas perguntas, você poderá comparar com o custo de troca dos veículos e avaliar se vale a pena ou não. 

É claro que muitos fatores irão influenciar na decisão como crédito disponível, caixa e reserva financeira da empresa, entre outros.

Mais uma vez espero ter ajudado com esse post!

Caso não seja você o responsável pela frota da empresa, compartilhe com quem é, tenho certeza que esse conteúdo ajudará muito a sua empresa.

Além disso, gostaria de deixar aqui o convite para você conhecer o meu canal sobre gestão de frotas no Youtube. 

Lá, você terá acesso a muitos conteúdos gratuitos e vídeos exclusivos.